5 problemas comuns na criança com dificuldade alimentar

outubro 24, 2015

Há alguns meses recebi uma mãe que chorou muito no nosso primeiro encontro… Ela e sua família já tinham tentado fazer de tudo e se sentiam impotentes e frustrados por não conseguirem fazer com que o filho parasse de comer papinhas liquidificadas e aceitasse os alimentos em pedaços, afinal ele já estava com mais de dois anos! O pediatra dizia que era preciso insistir com a nova textura dos alimentos, o pai dizia que, se o deixasse com fome, ele certamente não iria cuspir, a mãe já não sabia por qual caminho seguir.

Foi quando conheci o Alex e pude compreender a razão da sua dificuldade alimentar. Ele possuía uma enorme sensibilidade oral, principalmente nas laterais da língua, que o impedia de lateralizar o alimento em sua boca. Devido a essa dificuldade era impossível comer alimentos que necessitassem serem mastigados, pois ao ter que leva-los para os dentes posteriores para serem mastigados, o simples fato de tocar nas laterais da língua causava um enorme incômodo, fazendo com que ele tivesse que cuspi-los para se proteger! Alex, por conta disso não pode aprender a mastigar e a cada dia comia menos…

Feito o diagnóstico trabalhamos no sentido de dar conforto oral para ele. Ajustamos as texturas dos alimentos e fomos aos poucos retirando a sensibilidade  nas regiões da língua mais sensíveis. Alex foi se sentindo capaz e confiante para conhecer novos alimentos. Parou de engasgar, e se sentiu confortável com vários alimentos na boca. Aos poucos foi ganhando confiança e com os treinos aprendeu a comer pipoca que antes ele só conseguia lamber! E provou pão de queijo e amou! E mastigou cereais matinais com a alegria de um verdadeiro vencedor! Graças a essa família que acreditou no meu diagnóstico e seguiu em frente comigo pudemos dar um final feliz para a história alimentar do Alex.

Em essência, esse relato nos mostra, na vida real, que os comportamentos alimentares inadequados são adaptações que a própria criança cria para proteger-se de algum sofrimento ou desconforto.

Veja agora estes 5 problemas comuns da criança com dificuldade alimentar e identifique aspectos que, quando corretamente abordados também podem mudar a história alimentar de muitas crianças!

1. Dificuldades Orgânicas: “Dói! Eu não se sinto bem”!

Os problemas orgânicos são prioridade sempre, pois contribuem enormemente para recusa alimentar. Os mais comuns são alergias alimentares, refluxo gastro-esofágico, esofagite eosinofílica, constipação grave, ou qualquer outro sintoma que faça a criança se sentir mal fisicamente. Os sintomas decorrentes dessas alterações como dor e desconforto, durante ou logo após ser alimentado, faz com que o bebê ou a criança associe desprazer ao momento da alimentação, recusando-a para se proteger. Eliminar ou tratar as causas desses desconfortos são prioridade.

2. Dificuldades Motoras-Orais: “Eu não consigo.”

Alterações da motricidade orofacial incluem qualquer problema físico na região oral que faça com que seja difícil conseguir organizar a comida à boca, mastigar, respirar e deglutir. Problemas anatômicos como fenda lábio-palatina, malformações da traqueia e esôfago, frênulo de língua curto, problemas dentários e/ou má-oclusão dos dentes, ou mesmo hipertrofia de adenóides e amígdalas, além de sensibilidade oral aumentada, podem colaborar para dificultar o processo de alimentação.

3. Desafios Sensoriais: “ Sinto-me desconfortável com essa textura, com esse sabor, com esse cheiro e com esse barulho!”

As crianças com desafios de integração sensorial processam a entrada sensorial de modo diferente. Muitas vezes percebem e sentem os sabores e texturas de modo muito intenso. Outras crianças com desafios sensoriais preferem comer somente alimentos suaves ou crocantes com textura uniforme. Há ainda crianças que suas preferências sensoriais incluem apenas sabores brandos e outras que apreciam sabores fortes e picantes. Determinados odores são difíceis para alguns e para outros a temperatura é um fator determinante.

4. Temperamento e inflexibilidade: “Eu não quero assim! Eu quero fazer do meu jeito.”

Muitas das famílias que me procuram descrevem seus filhos de modo bastante semelhante: se comunicam verbalmente e são muito inteligentes; tem um forte desejo para descobrir as coisas em seu próprio tempo e à sua maneira; sentem-se facilmente frustrados; e expressam suas emoções de modo intenso. Muitas crianças que apresentam dificuldade alimentar extrema, apresentam uma natureza independente e muitas vezes inflexível. Costumam ser determinados e não gostam de mudar o modo como brincam, comem, e fazem as coisas.

5. Experiências negativas: “Estou com medo…. Vai acontecer de novo…”

Se, no passado, o ato ou desejo de comer resultou em uma sensação desconfortável ou assustadora, o apetite de uma criança pode diminuir. Por exemplo, um episódio de engasgo pode desencadear medo, ao ponto da criança deixar de comer e perder peso rapidamente. Uma criança que tenha sido forçada a comer pode desenvolver um medo extremo, evitando ser alimentada. Outras experiências aversivas incluem aspiração (comida em vias aéreas ou pulmões) ou vômitos recorrentes.

É fundamental considerar os desafios e experiências do seu filho para que você possa entendê-lo e ajudá-lo, evitando certos alimentos e situações. Isso irá lhe ajudar como mãe ou pai a se sentir confortável, seguro e no controle.

Em essência, os comportamentos alimentares inadequados são adaptações que a própria criança cria para protegê-la de algum sofrimento ou desconforto.

Compreenda seu filho. Torne-se parceiro dele, sem julgamentos ou comparações. Aceitando-o como ele é, construindo empatia e confiança, você irá começar a ajudá-lo a desenvolver uma relação positiva com os alimentos!

foto_patricia_junqueira1

Fga. Dra. Patrícia Junqueira (CRFa 5567).

Texto adaptado, publicado originalmente aqui.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Leave a reply
Você já levou seu filho para cozinhar com você?Próxima Oficina de Histórias: contar, ouvir e brincar | 10 novembro 2015
All comments (7)
  • Ana Paula rodrigues
    13/12/2015 at 12:50 am

    Oi meu filho tem 1 ano e 10 meses e prematuro d 31 semanas de uma gestação trigemelar,ele e dificiente visual não enxerga nada,e desde […] Read MoreOi meu filho tem 1 ano e 10 meses e prematuro d 31 semanas de uma gestação trigemelar,ele e dificiente visual não enxerga nada,e desde dos 6 meses d vida tem dar a ele papinhas e ele nunca aceitou ele chora muito quando coloco o alimento na boca dele parece q ele sente uma dor enorme,só o alimento com leite e sucos vitaminas d frutas,ele nunca comeu um alimento mesmo as papinhas bem peneiradas ele não aceita,me ajude. Read Less

    Reply
    • Bom Dia Ana Paula! Nossa que situação difícil para você. Estamos à disposição caso queira conversar pessoalmente, agendando um horário com a Rose, secretária do Instituto […] Read MoreBom Dia Ana Paula! Nossa que situação difícil para você. Estamos à disposição caso queira conversar pessoalmente, agendando um horário com a Rose, secretária do Instituto pelo tel 11-3044-1131. Abraço fraterno! Patrícia Read Less

      Reply
    • Olá Ana Paula! Obrigada pelo contato! Entendo a sua situação e sei que é um enorme desafio. Muitas crianças com dificuldades visuais podem ter dificuldade na […] Read MoreOlá Ana Paula! Obrigada pelo contato! Entendo a sua situação e sei que é um enorme desafio. Muitas crianças com dificuldades visuais podem ter dificuldade na hora da alimentação. Já tive alguns pacientes nessa situação. Procure explorar os outros sentidos dele nesse momento: olfato, tato, audição, etc. Uma avaliação presencial seria mais oportuno para que eu possa te orientar mais pontualmente. Caso tenha interesse permaneço á diposição . Contato pelo tel: 11-3044-1131 Abraço fraterno, Patrícia Junqueira Read Less

      Reply
  • JOSANA OLIVEIRA DE CASTRO
    17/08/2016 at 1:14 am

    Aprendendo aqui para ajudar nossa pequena. Lendo muito a Fga Patrícia!!!

    Reply
    • Instituto
      @JOSANA OLIVEIRA DE CASTRO
      31/01/2017 at 4:28 pm

      Oi, Josana! Perdão.. seu comentário passou desapercebido! Que bom que o nosso conteúdo está te ajudando! Vou te adicionar na nossa lista para que fique […] Read MoreOi, Josana! Perdão.. seu comentário passou desapercebido! Que bom que o nosso conteúdo está te ajudando! Vou te adicionar na nossa lista para que fique sabendo de tudo novo que sair, ok? Um grande abraço! Emili Read Less

      Reply
  • Mirian Rangel
    26/03/2017 at 5:47 pm

    Dra, boa tarde. Amei o texto. Meu filho tem 1 ano e 10 meses. Não quer mastigar a comida. Só quer comer macarrão com feijão […] Read MoreDra, boa tarde. Amei o texto. Meu filho tem 1 ano e 10 meses. Não quer mastigar a comida. Só quer comer macarrão com feijão e mesmo assim é uma luta. Ama mamadeira. Nunca chupou chupeta e também não era de ficar colocando muitas coisas na boca qdo de meses. Qdo tendo dar a comida pra ele, ele cospe. Não gosta nem de biscoitos ou coisas que tenha que mastigar. Estou desesperada. Ele também fala pouquíssimas palavras, só umas 5, mas entende tudo que falamos. Por favor, não sei o que fazer Read Less

    Reply
  • Patrícia
    17/05/2017 at 8:28 pm

    Nossa lendo esse POST parece que tô vendo meu Nicollas todinho , só come comida liquidificador, não mastiga nada é se tentar colocar qualquer pedacinho […] Read MoreNossa lendo esse POST parece que tô vendo meu Nicollas todinho , só come comida liquidificador, não mastiga nada é se tentar colocar qualquer pedacinho de algum alimento e engasgo e tosse na hora Read Less

    Reply

Leave Your Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *