6 dicas importantes para ajudar no desenvolvimento da fala do seu filho

setembro 19, 2015

Fazem parte do desenvolvimento infantil aspectos relacionados a saúde física, emocional e ambiental da criança. O pequeno ser quando vem ao mundo necessita da integração favorável desses aspectos para seu bom desenvolvimento e crescimento.

Com o passar dos meses a criança vai superando seus próprios limites e a cada etapa novas descobertas e avanços vão sendo percebidas e admiradas pelos pais, familiares e cuidadores.

Diante de tantas conquistas, uma é particularmente especial. Ao começar a emitir os primeiros sons, as primeiras palavras com intenção para se comunicar, o pequeno ser começa a interagir de modo diferente com as pessoas que o rodeiam e aos poucos é capaz de manifestar oralmente suas vontades.

A fala consiste na produção de sons através da interrupção ou bloqueio da corrente de ar que vem dos pulmões, ocasionada pelos movimentos dos lábios, língua e palato mole. Quando a criança fala, ela utiliza os mesmos órgãos utilizados para as funções vitais, como a sucção, mastigação, deglutição e respiração.

Assim, para ajudar no bom desenvolvimento da fala do seu filho, esteja atento a estas 6 dicas:
1. O quanto possível, prefira a amamentação natural (aleitamento materno)

Na amamentação natural, por exemplo, estimula-se fortemente a ponta da língua, além de ”exercitar” sua elevação para a parte anterior e superior da parte interna da boca. Este “exercício” é preparatório para a produção de alguns sons do tipo: /t/ “toca”, /d/ “da”, /n/ “nene”, /l/ “lama”.

Se você está amamentando e apresenta dificuldade, procure um especialista em amamentação que poderá identificar o problema e orientá-la.

2. Quando a amamentação natural não for possível, escolha bicos ortodônticos e não aumente o furo para facilitar a passagem do líquido

O que acontece muitas vezes é que, por total falta de informação, as mães acabam fazendo isso, podendo trazer futuramente prejuízos ortodônticos e fonoarticulatório para a criança, como apresentar algumas dificuldades para falar corretamente algumas palavras, não ter um bom encaixe entre os dentes superiores e inferiores, ter músculos da face flácidos, respirar pela boca, etc.

3. Estimule a mastigação oferecendo sabores e, principalmente, alimentos com consistências variadas

Com o nascimento dos dentes, o estimulo das estruturas envolvidas na fala continua com a mastigação. É por meio dessa função que também é aprendida, que os pais podem propiciar aos seus filhos o fortalecimento e desenvolvimento da musculatura que vai ser utilizada para a fala. Portanto quanto mais os pais puderem oferecer alimentos com sabores e consistências variadas, mais estarão colaborando para “exercitar” a região oral.

4. Valorize as tentativas da criança se comunicar através da fala

Uma boa musculatura da face aliada a um ambiente favorável que permita e valorize com que a criança manifeste seus desejos por meio da fala e que possa favorecer as mais diversas situações de comunicação, seja com os pais, familiares e com outras crianças, será imprescindível para a aquisição da fala.

5. Procure falar corretamente, pronunciando bem as palavras e evitando o excesso de diminutivos

É importante você agir assim mesmo quando seu filho ainda for bebê, pois você é o modelo a partir do qual ele vai aprender a se expressar.  Palavras utilizadas no diminutivo como “nenezinho”, “bolachinha”, “cadeirinha”, etc. ou ainda quando você substitui palavras (“lalacha” para bolacha, “tete” para leite, etc) quando fala com seu filho,  dificultam a compreensão para ele e podem criar um “vocabulário” próprio que só você e ele compreendem.

6. Esteja atento à audição da criança

Tão ou mais importante que todos os aspectos abordados até aqui é estar atento à audição da criança. Ao menor sinal de que ela não esteja escutando ou reagindo aos sons, os pais devem procurar um médico ou um fonoaudiólogo. Crises repetitas de otite (inflamação no ouvido) também merecem especial atenção pois podem reduzir temporariamente o limiar de audição da criança.

O desenvolvimento da fala é gradativo e depende da integração entre diversos fatores, alguns deles descritos nesse texto. Importante salientar que cada criança possui um tempo próprio para esse desenvolvimento e que fatores cognitivos e emocionais também podem interferir nesse processo de aquisição da fala.

* Como saber se seu filho precisa de ajuda fonoaudiológica?

foto_patricia_junqueira1

Fonoaudióloga Dra. Patricia Junqueira | CRFa 5567.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Leave a reply
Meu filho não mastiga… o que pode estar acontecendo?E o príncipe ganhou um super banquete na nossa última Oficina de Histórias: contar, ouvir e brincar!

Leave Your Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *