Meu filho não pára quieto para comer

novembro 06, 2016

Há muito pelo que se apaixonar quando as crianças são pequenas, principalmente entre 1 e 3 anos… Elas são engraçadinhas e é quase mágico vê-las aprendendo sobre o mundo ao seu redor e desenvolvendo novas habilidades. Entretanto, do ponto de vista dos pais, essa pode ser uma fase bastante desgastante. Elas requerem paciência e compreensão enormes – o que às vezes é fácil, mas às vezes nem tanto… Uma dessas ocasiões é quando seu pequeno não quer parar sentado no cadeirão para comer.

Mas por que isso acontece?

Bom, antes de mais nada, para mudar um comportamento, é necessário entendê-lo primeiro. Crianças nessa idade podem evitar sentar no momento das refeições por várias razões. Pode ser aquela fase normal do desenvolvimento que a faz testar limites. Pode ser por uma questão de autonomia, pois crianças gostam de fazer as coisas à sua maneira. Elas estão experimentando seu “poder pessoal” e tentando tomar suas próprias decisões. Elas também podem estar tentando sentir o impacto do seu comportamento nos adultos. Conseguir uma reação dos adultos é uma conquista para as crianças pequenas. Elas também são pessoinhas muito ocupadas, talvez o seu projeto para o momento não envolva sentar à mesa para comer… Você deve ter todas essas coisas em mente ao tentar compreender por que seu filho não pára para comer.

Pode não ser tão simples…

Às vezes, a dificuldade que seu filho tem em se juntar à família para a refeição não tem a ver com todas essas coisas normais da idade. Pode ser que seu filho não se sinta confortável ao comer. Quando uma criança é seletiva com o que come, ela geralmente se sente ansiosa e consequentemente vai fazer o que puder para evitar esse momento (Veja aqui como a ansiedade pode afetar o desejo de comer).

Neste caso, a pergunta que você deve se fazer é se o comportamento do seu filho no momento da refeição é o mesmo tipo de comportamento que ele demonstra em outras ocasiões. Se seu filho tem dificuldade para sentar por longos períodos ou não consegue manter atenção por muito tempo numa mesma atividade, sentar para comer pode ser complicado também. Se ele estiver passando pela fase de testar limites e todas suas ordens são recebidas com um sonoro “não”, certamente o momento da refeição é só mais uma ocasião em que ele terá este tipo de comportamento. Mas se essa resistência é algo que você só vê quando ele vai se alimentar, talvez o problema esteja na comida e você vai precisar investigar isso mais a fundo.

Comece pelo básico

O cadeirão/cadeira que ele usa está funcionando pra ele? Você acha que a altura do cadeirão se ajusta à altura da mesa de modo que ele consiga ver as outras pessoas? Acha que ele está confortável, com suporte adequado para suas costas e apoio para os pés? A criança tem espaço para se movimentar? Verificar esses aspectos é fundamental. Algumas crianças podem resistir sentar no cadeirão porque muitas vezes associam a situação de ficarem presas e não terem como sair quando desejarem, não conseguindo “controlar” a situação.

Quando a criança já desenvolveu uma “aversão” ao cadeirão, comece colocando-a nesse local para fazer algo que realmente goste, sem associar com o momento da refeição. Ela pode sentar no cadeirão para brincar de massinha caseira, para desenhar com giz de cera ou mesmo para brincar com algum alimento enquanto você termina de preparar o jantar. Aos poucos ela vai perdendo o medo de sentar no cadeirão.

Outro aspecto muito importante é não manter a criança presa ao cadeirão por longos períodos. Lembre-se que as refeições devem durar em média 30 minutos, mais do que isso, esse momento pode se tornar extremamente aversivo para as crianças pequenas.

Prepare o ambiente

Para conseguir o melhor resultado possível, ajude seu filho a se preparar para o momento da refeição usando a regra dos 20 minutos. Nesse tempo você dedica um tempo de exclusividade para seu filho, fazendo uma atividade que ele goste e que o acalme. Crie uma rotina que o prepare para a hora de comer. Pode ser uma música ou até um sino, algo que o faça entender que ele vai precisar parar de fazer o que está fazendo. Evite TV/telas  meia hora antes das refeições, pois elas estimulam as crianças de uma forma ruim para este momento. Torne o ambiente o mais calmo possível.

Escolha sua estratégia

Você precisa primeiro definir o lugar onde a criança irá se sentar, preparar o ambiente e ter seu tempo de qualidade com ela. Depois sim, é necessário que você escolha uma estratégia que se ajuste à personalidade do seu filho e ao seu estilo parental.

Consequências

Pode soar duro, mas geralmente funciona depois de algumas vezes, se você conseguir manter sua palavra até o final. Funciona assim: você explica ao seu filho que ele precisa ficar sentado para comer e que se ele descer, ou fizer manha, chorar para sair, essa é uma maneira de dizer para o papai e para a mamãe que ele não quer mais comer. Em outras palavras, se ele descer, a refeição acabou.

É necessário que você mantenha a calma porque você não o está punindo, você está consistentemente explicando as consequências da escolha do seu filho. Parece duro porque você sabe que ele teria comido mais mas, uma vez que ele entender o que acontece quando ele desce da cadeira, é improvável que continue fazendo isso.

Esta estratégia é ótima para crianças que estão naquela fase normal de testar limites. Mas se seu filho sente ansiedade em relação à alimentação ou tem algum outro problema mais complexo que o faz evitar o momento da refeição, você precisa ir mais devagar e procurar tratar a origem do problema, de preferência com ajuda profissional.

Você também precisa ter a certeza de que seu filho tem maturidade cognitiva pra entender os conceitos envolvidos nesse processo, como o conceito de consequência e de como nosso comportamento pode comunicar coisas diferentes.

Incentivos

Esta estratégia envolve separar o comportamento da criança durante o momento da refeição do que e como ela come. Não é correto tentar controlar o que seu filho vai comer ou fazê-lo comer isso ou aquilo. Mas é correto (e esperado) ter determinadas expectativas sobre seu comportamento durante este momento. Você pode dar alguma recompensa ao seu filho porque ele se sentou educadamente durante a refeição, ou o que quer que funcione para sua família – mas nunca o recompense por ter comido algo.

Comece devagar

Mudanças significativas começam com pequenos passos – tenha expectativas baixas no começo, fique feliz com alguns minutos à mesa e louve os esforços do seu filho.

Reveja suas expectativas

Será que você não está sendo exigente demais? Se seu filho come devagar e demora meia hora para terminar sua refeição, pode ser que não tenha problema. Ou se ele quer descer da cadeira/cadeirão após 15 minutos embora você não tenha terminado a sua refeição, tudo bem, também. Eu sugiro 15 minutos no mínimo e 30 minutos no máximo. Mas você vai precisa dizer o que parece certo para sua família – e cada família é diferente.

Há uma enorme variação no tempo que adultos levam para comer, com as crianças é assim também. A pergunta que dever ser feita é: ele está à mesa tempo suficiente para comer sua refeição? Porque quando ele quer descer/sair antes de terminar sua refeição, isso pode prejudicar sua alimentação, e isso, sim, é um problema.

Texto adaptado, publicado originalmente aqui.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Leave a reply
Para pensar | 1 nov 2016Para pensar | 10 nov 2016

Leave Your Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *