Ser mãe de criança que não come: um desafio possível

março 04, 2017

“Era uma vez uma linda floresta onde a vida corria em paz. Um dia a floresta acordou em chamas. Os animais estavam temerosos, pois a floresta estava ameaçada e eles também. Porém, um beija-flor pequenino, voava até um lago e apanhava uma simples gota de água e voltava tentando apagar o fogo. Fez a viagem de ida e volta várias vezes. Até que os demais animais riram e perguntaram ao pequeno beija-flor como pensava ele de apagar o fogo da floresta com uma simples gota de água. Ele respondeu que sozinho não iria conseguir, mas se cada um daqueles animais ajudasse, o fogo seria apagado.”

Certamente você deve ter ouvido inúmeras dicas de como fazer seu filho comer:

– Deixa ele sem comer uns dias que vai ver se não come!
– Isso é frescura!
– Deixa comigo que eu sei como fazer ele comer…
– Etc, etc, etc… (Ninguém melhor do que você para dar os exemplos, não é?)

Pois é, ser mãe de criança que não come, é muitas vezes, se sentir como o beija-flor apagando o incêndio da floresta. Mas essa história nos mostra que sozinhos é difícil apagar os incêndios.

Ser mãe de criança que não come, é ser o beija-flor, que acredita que é possível superar os desafios, e que com a ajuda dos outros animais, essa superação se torna possível de acontecer!

Enquanto psicóloga, terapeuta de famílias, crianças e adolescentes, poderia passar o post inteiro passando dicas, pautadas em lindas teoria e experiência. Mas, o que eu sinto e percebo, que de fato o que mais importa, é essa teia, rede, grupo. E foi no grupo de mães que possuem esse desafio, que pude perceber a importância dessa rede. É nesse momento que podemos:

– Compartilhar sentimentos, dúvidas, anseios em relação à dificuldade de alimentação;
– Aprender com a experiência de outras mães e profissionais;
– Compreender as crenças relacionadas à dificuldade de comer;
– Descobrir nossas próprias limitações;
– Conhecer a força do nosso pensamento;

Vivenciar, compartilhar  emoções, amparadas por quem possui uma visão ampliada e integrada do desenvolvimento infantil, pode e tem feito a diferença na vida de muitas mães!

Enfim, é nessa rede que podemos encontrar um verdadeiro apoio para apagar o incêndio, ajudando assim, quem mais nós amamos, nossos filhos!

nova_imagem_jaqueline_IDI
Jaqueline Sclearuc Ramos | CRP 46532-8

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Leave a reply
Para pensar | 26 fev 2017Para pensar | 7 mar 2017
All comments (3)
  • Rita
    05/03/2017 at 2:20 pm

    Olá bom dia... Estou muito preocupada com meu filho de 3 anos, ele só quer se alimentar de frutas e leite, nada de arroz, feijão, […] Read MoreOlá bom dia... Estou muito preocupada com meu filho de 3 anos, ele só quer se alimentar de frutas e leite, nada de arroz, feijão, etc... Uma amiga me marcou só seu post, e achei bem interessante o seu trabalho! Gratidão Rita Sinval Read Less

    Reply
  • Val Ferreira
    06/03/2017 at 11:38 am

    Bom dia! Só quem vivência essa situação, sabe o quanto nos é angustiante. Tenho um filho de 9 anos que come " 1/2 dúzia" de coisas, desde […] Read MoreBom dia! Só quem vivência essa situação, sabe o quanto nos é angustiante. Tenho um filho de 9 anos que come " 1/2 dúzia" de coisas, desde os 3 anos. Já fiz de um tudo, e nada melhora. Minha última investida está sendo na parte religiosa, estudando o lado espiritual, detalhando mapa astral, para buscar respostas para esse " mistério". Complicado, pq muitas pessoas como foi dito no post, acham que é frescura, que nós pais não sabemos impor nossa autoridade. Isso não tem haver com criação! Read Less

    Reply
    • eriane nobre
      @Val Ferreira
      06/03/2017 at 7:17 pm

      Olá, realmente é muito dificil. Meu filho tem 5 anos e desde os 3, não come quase nada, aceita um mingau, um iogurte, uma torrada, […] Read MoreOlá, realmente é muito dificil. Meu filho tem 5 anos e desde os 3, não come quase nada, aceita um mingau, um iogurte, uma torrada, e biscoitos e achocolatados SOMENTE. Estou tentando achar um tratamento adequado pra ele, tendo em vista a grande dificuldade de achar profissionais que possam me ajudar, chega a ser desesperador! Read Less

      Reply

Leave Your Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *