Você sabia que as preferências alimentares das crianças podem ter uma razão sensorial?

agosto 23, 2015

Sempre que encontrarmos uma criança que recusa ou luta para comer, nós precisamos pensar que seu sistema sensorial pode não estar funcionando de modo adequado. Se conseguirmos identificar isso, podemos tornar o momento da refeição mais agradável para toda a família.

Mas afinal de contas o que é o sistema sensorial e como ele pode, de fato, interferir na alimentação?

Nós recebemos informações sensoriais através dos sete sentidos: visão, audição, paladar, olfato, tato, movimento e propriocepção – os dois últimos sendo responsáveis pela noção da posição do corpo no ambiente em relação à gravidade. O nosso cérebro recebe essas informações de forma simultânea, reconhecendo, integrando e organizando-as, para devolver ao ambiente, através do nosso corpo, respostas eficientes.

Algumas crianças podem apresentar dificuldade nesse processamento sensorial, sendo incapazes de processar e integrar informações sensoriais de forma efetiva, e obter sucesso na execução de suas tarefas como, por exemplo, comer. Para algumas crianças, é mais do que simplesmente não gostar de um alimento ou de outro.

Dificuldades sensoriais impactam na alimentação quando as crianças não são capazes de processar adequadamente gostos, cheiros, visões, texturas, ou sons. Em muitos casos, a resposta ao estímulo sensorial pode ser exacerbada ou diminuída. Isso os torna extremamente sensíveis às menores variações de estímulos presentes no momento da refeição.

Visão, olfato, paladar, tato, e outros sentidos, obviamente, têm grande influência na hora das refeições. Quando a criança não é capaz de se sentir confortável frente a esses estímulos, ela pode reagir de modo muito particular. Elas mudam o comportamento, tentam escapar da situação da refeição, demonstram medo frente a alguns alimentos e podem engasgar ou vomitar com determinadas texturas, odores, ou temperatura dos alimentos.

Geralmente, essas crianças acabam selecionando os alimentos com os quais sentem conforto e dificilmente aceitam mudanças. Essa seleção quase sempre está relacionada ao modo como as crianças recebem e interpretam o estímulo sensorial dos alimentos. Algumas crianças só sentem conforto com alimentos crocantes. Se você insistir com cremes e purês ela pode engasgar e vomitar. Outras preferem alimentos picantes e apimentados, além de adorarem o sabor bastante salgado. Sabores cítricos são mais agradáveis para uns, para outros não.

Os pais e profissionais de saúde necessitam estar atentos aos aspectos sensoriais envolvidos no momento da refeição. Muitas vezes não é “frescura”, e sim uma dificuldade que impede a criança de sentir prazer no momento da refeição. Criar um clima de “batalha”, insistindo para que a criança coma preparações determinadas por quem não compreende estes aspectos e a respeite, irá somente criar um clima de aversão da criança aos alimentos e ao momento de refeição.

Se as crianças não gostam do momento da refeição, é nossa responsabilidade tentar outra maneira de ajudá-las a encontrar uma maneira confortável para aceitar os alimentos. É um desafio, mas as crianças com dificuldades sensoriais irão apreciar nosso esforço!

foto_patricia_junqueira1

Fonoaudióloga Dra. Patrícia Junqueira | CRFa 5567.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Leave a reply
Não é “frescura”!Uma notícia boa! “Como pais e colégios tentam tornar mais saudáveis os alimentos no recreio”
All comments (2)
  • Josiane
    17/07/2016 at 2:23 pm

    E como posso estimular este lado sensorial, minha filha tem dificuldade com muitos tipos de alimentos, sao poucos que ela aceita, muitas vezes só em […] Read MoreE como posso estimular este lado sensorial, minha filha tem dificuldade com muitos tipos de alimentos, sao poucos que ela aceita, muitas vezes só em pegar o alimento ou o cheiro ela acaba fazendo ancia, e minha maior dificuldade tambem esta em achar um profissional nesta area em Curitiba Read Less

    Reply
    • Priscylla Cavalcanti
      @Josiane
      18/07/2016 at 11:36 am

      Olá Josiane, em Curitiba existem diversas terapeutas ocupacionais que trabalham com um método chamado Integração sensorial. Aqui em Recife-PE, temos trabalhado bastante com crianças que […] Read MoreOlá Josiane, em Curitiba existem diversas terapeutas ocupacionais que trabalham com um método chamado Integração sensorial. Aqui em Recife-PE, temos trabalhado bastante com crianças que possuem este tipo de dificuldade e observado grandes avanços com uma intervenção interdisciplinar. Se tiver interesse me manda um e-mail Pri.cavalcanti.to@gmail.com que posso te mandar alguns contatos. Abraço. Read Less

      Reply

Leave Your Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *